DE 2017

Socicom Informa

Socicom vê risco a continuidade do ensino e pesquisa por falta de verbas

A  diretoria da SOCICOM encaminhou no último dia 14 de agosto aos ministros da Educação e da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações, aos presidentes da Câmara dos Deputados e do Senado e aos  presidentes do CNPq e da CAPES uma moção contra os cortes orçamentários que vêm colocando em risco a continuidade do ensino e da pesquisa praticados em nosso país.

 

Leia a moção:

 

A diretoria da Federação Brasileira das Associações Científicas e Acadêmicas da Comunicação (SOCICOM) vem por meio desta manifestar sua preocupação com o desmanche do setor das Ciências, Tecnologias e Humanidades e do sistema de ensino público superior, resultado não apenas  dos mais recentes cortes orçamentários, que têm comprometido enormemente a continuidade das pesquisas e do ensino praticados em nosso país, mas da adoção de políticas científicas e educacionais incapazes de perceber o papel estratégico do conhecimento e saberes para o desenvolvimento das nações e suas populações.

 

Sabemos todos o quão grave é a crise econômica que atravessamos, bem como o quanto o fato de não possuirmos autonomia em setores estratégicos da economia mundial agrava o sintoma dessa crise, em especial para os setores mais sensíveis de nossa sociedade.  A superação duradoura dos revezes do presente se faz, cremos, com um projeto de nação que seja capaz de garantir a soberania nacional e reposicionar o país diante de um mundo cada vez mais dinâmico e dependente dos conhecimentos científicos e inovações tecnológicas. Tal consciência tem levado, ainda que em contexto de crise econômica mundializada, diversas nações a aumentarem o investimento público em CT&I.

 

Sabemos também o quanto a criação do conhecimento, a pesquisa de ponta e boa parte das inovações tecnológicas em nosso país são resultados do aporte financeiro dos órgãos e agências públicas, mas também das Universidades Públicas que, não obstante os constantes ataques, têm mantido o vigor e protagonismo na produção científica nacional.

 

Se, a duras custas, vimos melhor qualificando a produção científica e acadêmica nacional e garantindo um maior acesso ao ensino e pesquisa de qualidade, as medidas em curso comprometerão de maneira irreversível o futuro das novas gerações.

 

Nesse sentido nos manifestamos:

 

- Contra o corte dos investimentos em ciência, tecnologia e pesquisa

 

- Contra o contingenciamento aos atuais orçamentos dos institutos de pesquisa do MCTIC

 

- Contra o corte orçamentário das universidades e institutos de ensino federais

Siga-nos

Socicom Informa

Socicom vê risco a continuidade do ensino e pesquisa por falta de verbas

A  diretoria da SOCICOM encaminhou no último dia 14 de agosto aos ministros da Educação e da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações, aos presidentes da Câmara dos Deputados e do Senado e aos  presidentes do CNPq e da CAPES uma moção contra os cortes orçamentários que vêm colocando em risco a continuidade do ensino e da pesquisa praticados em nosso país.

 

Leia a moção:

 

A diretoria da Federação Brasileira das Associações Científicas e Acadêmicas da Comunicação (SOCICOM) vem por meio desta manifestar sua preocupação com o desmanche do setor das Ciências, Tecnologias e Humanidades e do sistema de ensino público superior, resultado não apenas  dos mais recentes cortes orçamentários, que têm comprometido enormemente a continuidade das pesquisas e do ensino praticados em nosso país, mas da adoção de políticas científicas e educacionais incapazes de perceber o papel estratégico do conhecimento e saberes para o desenvolvimento das nações e suas populações.

 

Sabemos todos o quão grave é a crise econômica que atravessamos, bem como o quanto o fato de não possuirmos autonomia em setores estratégicos da economia mundial agrava o sintoma dessa crise, em especial para os setores mais sensíveis de nossa sociedade.  A superação duradoura dos revezes do presente se faz, cremos, com um projeto de nação que seja capaz de garantir a soberania nacional e reposicionar o país diante de um mundo cada vez mais dinâmico e dependente dos conhecimentos científicos e inovações tecnológicas. Tal consciência tem levado, ainda que em contexto de crise econômica mundializada, diversas nações a aumentarem o investimento público em CT&I.

 

Sabemos também o quanto a criação do conhecimento, a pesquisa de ponta e boa parte das inovações tecnológicas em nosso país são resultados do aporte financeiro dos órgãos e agências públicas, mas também das Universidades Públicas que, não obstante os constantes ataques, têm mantido o vigor e protagonismo na produção científica nacional.

 

Se, a duras custas, vimos melhor qualificando a produção científica e acadêmica nacional e garantindo um maior acesso ao ensino e pesquisa de qualidade, as medidas em curso comprometerão de maneira irreversível o futuro das novas gerações.

 

Nesse sentido nos manifestamos:

 

- Contra o corte dos investimentos em ciência, tecnologia e pesquisa

 

- Contra o contingenciamento aos atuais orçamentos dos institutos de pesquisa do MCTIC

 

- Contra o corte orçamentário das universidades e institutos de ensino federais