Nº DE 2017

Espaço Aberto

Revista Lusófona de Estudos Culturais recebe papers sobre o tema “Texturas sonoras” até 30 de novembro

É consensual a ideia de que a cultura contemporânea se define pela hegemonia da imagem e por um regime de visualidade que atravessa praticamente todas as extensões da vida. No entanto, a experiência do mundo é também profundamente sonora. Tanto do ponto de vista perceptivo como do ponto de vista social e cultural, o som é fonte de informação, funcionando ao mesmo tempo como uma linguagem produtora de significados. Na sua dimensão física, o som é reverberação e vibração, tem frequência e intensidade. Na sua dimensão simbólica, o som é também emoção e relação, tem valor rememorativo e qualidades expressivas. Embora o desenvolvimento das tecnologias de comunicação tenha acentuado a componente visual da significação, as práticas sociais inscrevem-se em ambientes e paisagens sonoras que também configuram modos de sentir e de fazer comunidade.

 

Introduzido em 1996 pelo antropólogo Steven Feld, o termo “acustemologia” sugere que o som tem valor epistemológico, correspondendo a um modo sónico de conhecer e estar no mundo. Sendo, portanto, um veículo de orientação no espaço físico como no espaço social, as manifestações sonoras criam, por outro lado, vínculos afetivos e produzem sensações, definem identidades e conferem textura emotiva às dinâmicas culturais.

 

Este volume da Revista Lusófona de Estudos Culturais/Lusophone Journal of Cultural Studies tem como objetivo refletir sobre a experiência sonora e o poder expressivo do som. A relação das linguagens sonoras com a identidade e a memória, a complementaridade entre imagem e som, a força imaginativa do som, as sonoridades específicas de diferentes culturas – como os sotaques e a música, a produção estética do som e o papel da rádio na promoção de uma cultura do ouvir são alguns dos temas que esta edição acolherá na exploração do lado acústico da cultura.  

 

Valorizando uma abordagem centrada na expressão sonora, os seguintes tópicos de análise podem ter enquadramento neste volume:

 

- Música e cultura: semiótica da música, musicologia, etnomusicologia, antropologia da música;
- Turismo sonoro: sonoridades dos espaços turísticos, paisagens sonoras, os sons das cidades, mapas sonoros;
- Arte sonora: som e estética, museologia sonora, poesia sonora, instalações sonoras, efeitos sonoros;
- Som e memória: história oral, capacidade imaginativa do som, sons em risco de desaparecer, som e emoção;
- Arquitetura e som: configurações sonoras dos espaços, ambiente sonoro, ergonomia acústica, som e decoração;
- Literacia sonora: cultura do ouvir, som e pedagogia, som e cognição, modos de escutar;
- Rádio e som: linguagem radiofónica, recursos expressivos, rádio e história sonora, narrativa sonora;
- Cinema e som: sonoplastia, som e ação, banda sonora, funções narrativas do som;
- Marketing sonoro: o som das marcas, publicidade e som, logotipos áudio, vozes e identidades sonoras dos produtos;
- Som e internet: novos formatos sonoros, redes sociais e som, podcasts, som e hipertextualidade.

 

A Revista Lusófona de Estudos Culturais/Lusophone Journal of Cultural Studies é uma revista arbitrada por pares e opera num processo de dupla revisão cega. Cada trabalho submetido será distribuído a dois revisores previamente convidados a avaliá-lo, de acordo com a qualidade académica, originalidade e relevância para os objetivos e âmbito da temática desta edição da revista (www.rlec.pt).

 

Os artigos podem ser submetidos em Inglês ou Português. Findo o processo de revisão por pares, os autores dos artigos selecionados deverão assegurar a tradução do respetivo artigo, cabendo aos editores a decisão final sobre a publicação do mesmo.

 

Os originais deverão ser submetidos através do website da revista (www.rlec.pt). Para mais informações, contatar: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

 

Datas importantes
Data-limite de submissão: 30 de novembro de 2017
Notificação das decisões de aceitação: 31 de janeiro de 2018
Data de publicação da revista: junho de 2018

Siga-nos

Espaço Aberto

Revista Lusófona de Estudos Culturais recebe papers sobre o tema “Texturas sonoras” até 30 de novembro

É consensual a ideia de que a cultura contemporânea se define pela hegemonia da imagem e por um regime de visualidade que atravessa praticamente todas as extensões da vida. No entanto, a experiência do mundo é também profundamente sonora. Tanto do ponto de vista perceptivo como do ponto de vista social e cultural, o som é fonte de informação, funcionando ao mesmo tempo como uma linguagem produtora de significados. Na sua dimensão física, o som é reverberação e vibração, tem frequência e intensidade. Na sua dimensão simbólica, o som é também emoção e relação, tem valor rememorativo e qualidades expressivas. Embora o desenvolvimento das tecnologias de comunicação tenha acentuado a componente visual da significação, as práticas sociais inscrevem-se em ambientes e paisagens sonoras que também configuram modos de sentir e de fazer comunidade.

 

Introduzido em 1996 pelo antropólogo Steven Feld, o termo “acustemologia” sugere que o som tem valor epistemológico, correspondendo a um modo sónico de conhecer e estar no mundo. Sendo, portanto, um veículo de orientação no espaço físico como no espaço social, as manifestações sonoras criam, por outro lado, vínculos afetivos e produzem sensações, definem identidades e conferem textura emotiva às dinâmicas culturais.

 

Este volume da Revista Lusófona de Estudos Culturais/Lusophone Journal of Cultural Studies tem como objetivo refletir sobre a experiência sonora e o poder expressivo do som. A relação das linguagens sonoras com a identidade e a memória, a complementaridade entre imagem e som, a força imaginativa do som, as sonoridades específicas de diferentes culturas – como os sotaques e a música, a produção estética do som e o papel da rádio na promoção de uma cultura do ouvir são alguns dos temas que esta edição acolherá na exploração do lado acústico da cultura.  

 

Valorizando uma abordagem centrada na expressão sonora, os seguintes tópicos de análise podem ter enquadramento neste volume:

 

- Música e cultura: semiótica da música, musicologia, etnomusicologia, antropologia da música;
- Turismo sonoro: sonoridades dos espaços turísticos, paisagens sonoras, os sons das cidades, mapas sonoros;
- Arte sonora: som e estética, museologia sonora, poesia sonora, instalações sonoras, efeitos sonoros;
- Som e memória: história oral, capacidade imaginativa do som, sons em risco de desaparecer, som e emoção;
- Arquitetura e som: configurações sonoras dos espaços, ambiente sonoro, ergonomia acústica, som e decoração;
- Literacia sonora: cultura do ouvir, som e pedagogia, som e cognição, modos de escutar;
- Rádio e som: linguagem radiofónica, recursos expressivos, rádio e história sonora, narrativa sonora;
- Cinema e som: sonoplastia, som e ação, banda sonora, funções narrativas do som;
- Marketing sonoro: o som das marcas, publicidade e som, logotipos áudio, vozes e identidades sonoras dos produtos;
- Som e internet: novos formatos sonoros, redes sociais e som, podcasts, som e hipertextualidade.

 

A Revista Lusófona de Estudos Culturais/Lusophone Journal of Cultural Studies é uma revista arbitrada por pares e opera num processo de dupla revisão cega. Cada trabalho submetido será distribuído a dois revisores previamente convidados a avaliá-lo, de acordo com a qualidade académica, originalidade e relevância para os objetivos e âmbito da temática desta edição da revista (www.rlec.pt).

 

Os artigos podem ser submetidos em Inglês ou Português. Findo o processo de revisão por pares, os autores dos artigos selecionados deverão assegurar a tradução do respetivo artigo, cabendo aos editores a decisão final sobre a publicação do mesmo.

 

Os originais deverão ser submetidos através do website da revista (www.rlec.pt). Para mais informações, contatar: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

 

Datas importantes
Data-limite de submissão: 30 de novembro de 2017
Notificação das decisões de aceitação: 31 de janeiro de 2018
Data de publicação da revista: junho de 2018